Manias e Tiques – Entrevista com a Psicóloga

Girl wtih pencil in mouthTodos nós conhecemos casos de pessoas (ou de nós mesmos rs) que estalam os dedos, franzem o nariz, piscam demais, mordiscam o lábio inferior, enrolam mechinhas do cabelo, roem as unhas, fazem algum barulho, repetem várias vezes uma mesma palavra durante uma conversa, estão sempre a mexer em algo que têm na mão ou a roer a ponta do lápis. E por aí vai.

Há quem diga que de perto ninguém é normal. Mas em alguns casos, um comportamento diferente fica exposto pra todo mundo ver, e aí vem a preocupação dos pais que muitas vezes nem sabem o que e porque está acontecendo determinado comportamento com tanta frequência, e muito menos como agir. Por isso convidamos a Psicóloga, Terapeuta Cognitivo- Comportamental e mãe, Cristiane Tinajero, para responder as perguntinhas a seguir.

 

1. Até que ponto é normal uma criança ou adolescente roer unhas, piscar demais, mexer no cabelo?

 A normalidade ou não dos tiques e manias estão na frequência e no grau do sofrimento que isto causa a criança/ adolescente. É bastante comum eles estarem presentes em um determinado contexto, situacional, e logo em seguida cessar, ou aparecer por uma fase e não surgirem mais. Como, por exemplo, estar ansioso nas vésperas de uma prova, ou na expectativa de uma sonhada viagem. Nestes casos, entendemos que eles são transitórios e adaptativos e desaparecerem. Diferentemente da criança/adolescente que tem o hábito de roer as unhas todos os dias, em várias situações, pode sangrar e puxar as cutículas o que causa dor e desconforto. Outro exemplo, aquela criança/adolescente que enrola o cabelo ao assistir televisão, mas arranca-o em tufos pela raiz, a gravidade é maior, não é apenas uma mania. Isto significa que existe uma causa maior que merece ser investigada.

 

2. O que são as manias e o que fazer para evitá-las?

 É habitual e até normal existir um pequeno grau de manias nas crianças, como por exemplo, não parar de contar as árvores que passam quando viajam de carro, não pisar nos riscos das calçadas, enrolar os cabelos com os dedos, ordenar a fileira de carrinhos de um mesmo jeito, desenhar de forma simétrica e coisas assim. Com o amadurecimento do seu sistema nervoso central essas manias, se forem apenas manias, vão desaparecendo. Mas já revelam desde cedo, um traço de personalidade mais perfeccionista e metódico nesta criança.

 

3. As manias e tiques podem evoluir para um transtorno?

Dependendo de como elas se manifestam e de sua etiologia podem evoluir para um transtorno. As manias que se apresentam como ideias intrusivas, obsessivas e que levam tempo e consomem a vida da criança podem evoluir para um TOC- Transtorno Obsessivo Compulsivo.  Algum tempo atrás, atendi uma criança que lavava as mãos repetidas vezes por dia e por traz desta compulsão (lavar as mãos) tinha o pensamento/ideia(obsessão) que todos os brinquedos eram sujos e contaminados. Isto causava tamanho sofrimento à criança e aos pais, porque ela não conseguia aproveitar das brincadeiras de forma prazerosa. Os estudos também revelam que os tiques e manias, quando há uma base neurobiológica, podem evoluir para transtornos como, por exemplo, a Síndrome de Torrette, a Tricotilomania entre outros.

 

4. O que é o tique e qual sua causa?

Os estudos definem os tiques como atos motores ou vocais involuntários. Inicialmente não são conscientes e passam a fazer parte do repertório comportamental como um gesto normal. Dependendo das suas causas, são transitórios, podem durar alguns meses. Em outros casos, quando eles se prolongam para adolescência e fase adulta podem trazer um comprometimento para a vida social emocional.

 

5. Como as manias e tiques podem atrapalhar no dia a dia da criança/adolescente?

Percebo que as manias e tiques na criança incomodam mais aos pais do que a criança, porque ela demora a perceber que estão presentes e na maioria dos casos, desaparecem antes que eles se deem conta. Agora, na adolescência, existe o olhar do outro, ou seja, se o adolescente não se deu conta, alguém com certeza apontará. Muitas vezes, há um prejuízo no desempenho escolar e social, em que o adolescente pode se esquivar das atividades de exposição (apresentar trabalho para sala) porque seus tiques ficarão mais evidentes. Ou apresentar um comportamento de fuga em contextos sociais, festinhas, em que precisa se expor mais, conhecer pessoas novas.

 

6. Como lidar com o tique?

Em meu trabalho costumo passar as seguintes orientações aos pais de crianças que apresentam tiques. Primeiro explico que foi comprovado estatisticamente que se os pais não prestarem especial atenção aos tiques e se os considerarem algo normal e passageiro, a sua evolução é boa e podem desaparecer num prazo de meses, é preciso pedir aos avós e familiares que não chamem atenção. Não queira que o seu filho reprima os tiques à força, já que isso só terá o efeito contrário: vai aumentar os tiques, a tensão e a ansiedade. Se a criança se aperceber do problema que tem, faça-lhe ver que é algo transitório que vai acabar por passar.

Favorecer as condições do ambiente também é importante, pais nervosos, acelerados, apreensivos favorecem os tiques. Reduzir a tensão que existe no ambiente ajuda bastante.

Os tiques são mais comuns nas crianças perfeccionistas e autocríticas. O seu filho deve compreender que todas as pessoas têm falhas e que devem pedir ajudar sempre que precisam.

 

7. Quando é necessário procurar ajuda?

É preciso buscar ajuda terapêutica quando existe algum grau de sofrimento na criança/adolescente. Quando essas manias/tiques estão trazendo algum prejuízo no seu desenvolvimento psicossocial.

Quando a criança é pequena e os pais se sentem incomodados por não saberem como lidar com a situação, também é necessário buscar a terapia para que recebam uma orientação psicoeducativa.

Referência Bibliográfica: Psiquiatria da Infância e da Adolescência. Francisco B. Assumpção Jr. Atheneu, 2003

 

Cristiane e Manuela

 

Cristiane Vasconcelos Tinajero

Psicóloga Clínica, Especialista em Terapia Cognitivo-Comportamental e Psicopedagoga

 

 

Comentários

Comentários

Posts Relacionados