Como uma Consultora de Sono Infantil pode nos auxiliar na rotina de nossos filhos

avatarHoje no nosso “Papo de Mãe”, Flávia Jussiani, Consultora de Sono Infantil, nos conta como a sua experiência nesta área tão discutida no mundo materno, contribuiu na rotina de seus filhos e como pode nos auxiliar também. Flávia é esposa do Fernando, mãe da Manuela de 4 anos e do Mateus de 2 anos. Formada em Administração de Empresas, se formou também  como Consultora de Sono Infantil e Instrutora de Shantala. Leia a seguir como ela conseguiu melhorar e muito os hábitos dos seus pequenos. Afinal, só quem passa pela situação pode sentir na pele os males que a privação de sono nos trás.

Como me tornei uma Consultora de Sono Infantil

Iniciamos nossa vida de pais bem sozinhos. Sem apoio algum. E foi bem difícil no início cair de cabeça num mundo, até então, alheio a nós, apesar de eu amar crianças desde sempre. Após 1 ano de maternidade encontrei uma rede de apoio e foi então que me encontrei realmente no mundo materno. Fui percebendo que essa falta de apoio não era só comigo…Depois que o Mateus nasceu parei de trabalhar com minha primeira profissão. Passaram 2 anos e surgiu a oportunidade de fazer a formação em Sono Infantil e Instrutora de Shantala. Juntou a fome com a vontade de comer. Eu precisava voltar a trabalhar, mas não queria voltar ao formato antigo.  Queria ter mais liberdade para continuar cuidando das crianças em casa e ter flexibilidade com os horários! Após o curso percebi que precisava “ajustar” algumas coisinhas em relação ao sono em nossa casa. Nós 4 dormimos em 2 camas, sendo uma de casal e uma de solteiro. Ambas ficam lado a lado coladas na parede. Mas, isso para nós não é o problema! O problema era acordar, vai Deus saber quantas vezes, para amamentar o Mateus. Isso me deixava exausta, sem paciência com os dois no outro dia, vontade de desistir da amamentação, cabeça nas nuvens e por aí vai… Tudo que você imaginar é bem provável que eu sentia também! Quando me senti realmente preparada tomei a decisão de resolver essa questão! Primeiro ensinei o Mateus a adormecer sozinho. Quando fomos iniciar a primeira soneca em que ele adormeceria sozinho, antes de mamar fiz um combinado dizendo assim: “Filho, você vai mamar a vontade e quando terminar vai dormir na rede sozinho, ok?” Ele concordou. Mamou a vontade e quando fui colocar na rede ele chorou reclamando, pois eu não estava na rede junto com ele nem o peito estava na boca como de costume. Então abaixei bem pertinho, expliquei que ele já tinha mamado e que poderia dormir como combinamos. Chorou mais um pouco, peguei no colo para acalmar, coloquei de novo na rede e assim precisei repetir algumas vezes até ele adormecer. De noite na cama o mesmo procedimento. Combinamos que ele mamaria a vontade e que assim que terminasse iria dormir no travesseiro dele, e não em cima de mim! E novamente ele chorou e eu calmamente expliquei tudo de novo até que ele se acalmasse e conseguisse adormecer. Foram alguns dias até que ele não chorasse mais para adormecer sozinho. Toda vez que ele chorava, eu repetia o mesmo procedimento. Após bem estabelecido e entendido a primeira etapa partimos para a segunda: o desmame noturno. Daí o novo combinado ficou assim: “Filhão, você vai mamar a vontade, dormir no seu travesseiro e só vai marmar amanhã de manhã quando estiver claro ok?” Ele confirmava e repetia o que eu havia acabado de dizer! E adivinha??? Rolou choro!!! Sim! Claro! Afinal, estávamos mudando um mau hábito e chorar é a “melhor” forma de comunicação dos pequenos. E mais uma vez, sempre que ele chorava eu o lembrava do nosso combinado e o acolhia! E assim tudo foi muito bem entendido! Hoje, ele mesmo já diz tudo como vai acontecer!

nene-feliz-2Mesmo com os bebês pequenos devemos conversar e explicar tudo o que esta acontecendo! Sempre que possível olhando bem dentro dos olhinhos e transmitindo segurança no que estamos falando. Se dentro da barriga eles já entendem, não tem porque não entender fora não é mesmo!? Eu, que imaginava ser normal não dormir nos primeiros 40 anos da maternidade, sim QUARENTA ANOS, estava dormindo a noite inteiraaaaa!!!! Parecia que tinha entrado em coma na primeira noite hahahaha! Cheguei a acordar assustada! Parece exagero… Mas era assim que me sentia! Fiquei muito feliz por ter passado por todo esse processo, pois fica muito mais fácil entender e poder ajudar! O sono, assim como a alimentação, é uma necessidade fisiológica e precisa ser suprido tanto na quantidade quanto no momento certo! A criança ou bebê que não dorme bem pode apresentar inúmeros sintomas, tais como: mau humor, irritabilidade, baixa imunidade, o crescimento estagna, falta de atenção e concentração, entre outros fatores que atrapalham todo o desenvolvimento infantil, podendo refletir tanto na adolescência quanto na vida adulta. Ou seja, não dormir não é normal! O normal é dormir e ficar bem! Então mamães e papais é possível sim ter o tão merecido descanso. Dependendo da idade do bebê, talvez, ainda não seja possível dormir uma noite inteirinha, pois eles estão em pleno desenvolvimento, mas o bebê pode sim aprender a adormecer sozinho, descansar bem e acordar feliz!

E se precisarem de um suporte completo, Flávia Jussiani está à disposição para acolher a história da sua família.

img-20170515-wa0030

Comentários

Comentários

Posts Relacionados